Acaricida e Insecticida para Tomateiro, Morangueiro, Citrinos, Macieira, Pereira, Flores e Ornamentais

Vertimec | Insecticida 

Descrição Geral

Acaricida e Insecticida para Macieira, Pereira, Pessegueiro, Nectarina, Damasqueiro, Ameixeira, Citrinos, Morangueiro, Tomateiro, Pimenteiro, Beringela, Pepino, Melão, Melancia, Alface e Chicória, Flores de corte e envasadas.

Autorização de venda n° 0586, concedida pela DGAV

Concentrado para emulsão com 18 g/l ou 1,9% (p/p) de abamectina.

Contém ciclohexanol.



Finalidades / Condições de Utilização:

Cultura Pragas Concentração (ml / hl)

Dose (l / ha)
Épocas e condições de aplicação Intervalo de Segurança (dias)
Macieira

Pereira
Ácaros tetraniquideos Aranhiço vermelho (Panonychus ulmi) e Tetranychus urticae



Ácaros eriofídeos (Aculus schlechtendali e Eriophyes pyri)
75 ml/hl + 250 ml/hl de Soleol



ou



0,75L/ha+ 2,5 L de Soleol
Aplicar no início da infestação. Se for necessário um segundo tratamento, utilizar outro acaricida com um modo de acção diferente. Aplicar só até 2 semanas após a queda das pétalas.



Realizar apenas 1 aplicação.
28
Pereira Psila

(Cacopsylla pyri)
75 ml/hl + 250 ml/hl de Soleol



ou



0,75L/ha+ 2,5 L de Soleol
Aplicar só até 3 semanas após a queda das pétalas.

Não efectuar aplicações consecutivas e realizar apenas 2 aplicações por ano. Caso seja necessário tratar mais vezes, recomenda-se a utilização de produtos com outros modos de acção.
28
Pessegueiro

Nectarina

Damasqueiro
Ácaros tetraniquideos

Aranhiço vermelho (Panonychus ulmi e Tetranychus urticae)

Ácaros eriofídeos

(Aculus schlechtendali)



Tripes (Frankliniella occidentalis)
75 ml/hl + 250 ml/hl de Soleol



ou



0,75L/ha+ 2,5 L de Soleol
Aplicar só até 3 semanas após a queda das pétalas.

Não efectuar aplicações consecutivas e realizar apenas 2 aplicações por ano. Caso seja necessário tratar mais vezes, recomenda-se a utilização de produtos com outros modos de acção.
14
Ameixeira Ácaros tetraniquideos

Aranhiço vermelho (Panonychus ulmi e Tetranychus urticae)



Ácaros eriofídeos (Aculus fockeni)
75 ml/hl + 250 ml/hl de Soleol



ou



0,75L/ha+ 2,5 L de Soleol
Aplicar após a queda das pétalas até ao início de formação de frutos. .

Realizar apenas 1 aplicação.
28
Citrinos: Laranjeira Tangerineira Toranjeira Limoeiro Mineira das folhas dos rebentos dos citrinos

(Phyllocnistis citrella)
40 ml/hl + 250 ml/hl de Soleol



ou



0,4-0,6L/ha+ 2,5 L de Soleol
Aplicar logo que se observem os primeiros sintomas de ataque nas folhas dos rebentos novos em crescimento. Em função do grau de ataque e de crescimento dos rebentos, e na presença de novas folhas, repetir o tratamento com um intervalo não inferior a 14 dias. Dirigir a pulverização para os rebentos com folhas jovens, molhando bem as folhas ainda em desenvolvimento. 10
Ácaros

(Panonychus citri e Tetranychus spp)
75 ml/hl + 250 ml/hl de Soleol



ou



0,75-1,125L/ha+ 2,5 L de Soleol
Aplicar logo que se observem os primeiros sintomas de ataque nas folhas dos rebentos novos em crescimento. Em função do grau de ataque e de crescimento dos rebentos, e na presença de novas folhas, repetir o tratamento com um intervalo não inferior a 14 dias. Dirigir a pulverização para os rebentos com folhas jovens, molhando bem as folhas ainda em desenvolvimento. Efectuar no máximo 3 aplicações intervaladas de pelo menos 14 dias. Caso seja necessário tratar mais vezes recomenda-se a utilização de produtos com outros modos de acção.
Morangueiro

(ar livre e estufa)
Ácaros

(Tetranychus spp.)
75 ml/hl



ou



0,75L/ha
Aplicar ao início da infestação.

Efectuar a aplicação de forma a cobrir bem as folhas, utilizando volumes de calda de 1000 a 1200 l/ha. No caso de populações muito elevadas, efectuar 2 aplicações consecutivas, intervaladas de 7 a 10 dias. Não aplicar em estufa/ sob coberto de Novembro a Fevereiro. Máximo de 3 aplicações por ciclo cultural e para o total das finalidades.
3
Tripes

(Frankliniella occidentalis, Thrips tabaci)
Efectuar uma primeira aplicação logo que se detectem as primeiras larvas e repetir se necessário com um intervalo de 7 a 10 dias. Evitar o desenvolvimento populacional da praga, dada a dificuldade do seu combate.

Não aplicar em estufa/ sob coberto de Novembro a Fevereiro. Máximo de 3 aplicações por ciclo cultural.
Tomateiro

Beringela

Pimenteiro

Pepino

Melão

Melancia

(ar livre e estufa)
Larvas mineiras

(Liriomyza spp.)
100 ml/hl



ou



1 L/ha
Efectuar uma primeira aplicação logo que se detectem as primeiras minas nas folhas. Repetir a intervalos de 7 dias ou com o intervalo necessário para o controlo da praga, dependendo do estado fenológico da cultura, do número de gerações da praga e da intensidade da infestação.

Não efectuar mais de 2 aplicações consecutivas, nem mais de 3 aplicações durante o ciclo cultural. Não aplicar em estufa/ sob coberto de Novembro a Fevereiro.
3
Ácaros

(Tetranychus urticae)
80 ml/hl



ou



0,8 L/ha
Aplicar ao início da infestação.

Efectuar a aplicação de forma a cobrir bem as folhas, utilizando volumes de calda de 1000 a 1200 l/ha. No caso de populações muito elevadas, efectuar 2 aplicações consecutivas, intervaladas de 7 a 10 dias. Não aplicar em estufa/ sob coberto de Novembro a Fevereiro. Máximo de 3 aplicações por ciclo cultural.
Tomateiro

Beringela

Pimento

Pepino

(estufa)
Tripes da Califórnia

(Frankliniella occidentalis e Trips sp.)
100 ml/hl



ou



1L/ha
Efectuar uma primeira aplicação logo que se detectem as primeiras larvas e repetir se necessário com um intervalo de 7 a 10 dias. Evitar o desenvolvimento populacional da praga, dada a dificuldade do seu combate.

Não efectuar mais de 2 aplicações consecutivas, nem mais de 3 aplicações durante o ciclo cultural. Não aplicar em estufa/ sob coberto de Novembro a Fevereiro.
3
Alface

Chicória

(ar livre)
Tripes da Califórnia

(Frankliniella occidentalis)
100 ml/hl



ou



1L/ha
Efectuar uma primeira aplicação logo que se detectem as primeiras larvas e repetir se necessário com um intervalo de 7 a 10 dias. Evitar o desenvolvimento populacional da praga, dada a dificuldade do seu combate.

Não efectuar mais de 2 aplicações consecutivas, nem mais de 3 aplicações durante o ciclo cultural.
7
Roseiras

Crisântemos

Craveiros

Orquídeas Gerberas

Gipsofilas

e outras flores de corte e envasadas

(ar livre e estufa)
Ácaros (Tetranychus sp.)

Larvas mineiras (Liriomyza spp.)

Tripes (Frankliniella occidentalis)
50 ml/hl

ou

0,5 L/ha
Aplicar ao início da infestação.

Não efectuar mais de 2 aplicações consecutivas, nem mais de 4 aplicações durante o ciclo cultural.
-

Formulação / Composição

Concentrado para emulsão com 18 g/l ou 1,9% (p/p) de abamectina.

Contém ciclohexanol.





Grupo Químico

Avermectina.

Modo de Acção

O VERTIMEC é um acaricida / insecticida produzido por um microorganismo do solo. Possui um modo de acção único (inibição do GABA) e portanto não apresenta risco de resistências cruzadas com nenhum outro produto conhecido.

Actua fundamentalmente por ingestão embora possua alguma acção de contacto.

O produto é absorvido a partir da superfície e forma um ‘reservatório’ no interior da folha.

A abamectina que fica depositada à superfície da folha é degradada por fotólise em poucas horas. Em macieira e pereira possui uma persistência de acção da ordem dos 60 dias, o que permite efectuar apenas um único tratamento. Em citrinos é de 2 semanas. Nas restantes culturas varia entre 7 e 14 dias.

Finalidades / Condições de Utilização

Cultura Pragas Concentração (ml / hl)

Dose (l / ha)
Épocas e condições de aplicação Intervalo de Segurança (dias)
Macieira

Pereira
Ácaros tetraniquideos Aranhiço vermelho (Panonychus ulmi) e Tetranychus urticae



Ácaros eriofídeos (Aculus schlechtendali e Eriophyes pyri)
75 ml/hl + 250 ml/hl de Soleol



ou



0,75L/ha+ 2,5 L de Soleol
Aplicar no início da infestação. Se for necessário um segundo tratamento, utilizar outro acaricida com um modo de acção diferente. Aplicar só até 2 semanas após a queda das pétalas.



Realizar apenas 1 aplicação.
28
Pereira Psila

(Cacopsylla pyri)
75 ml/hl + 250 ml/hl de Soleol



ou



0,75L/ha+ 2,5 L de Soleol
Aplicar só até 3 semanas após a queda das pétalas.

Não efectuar aplicações consecutivas e realizar apenas 2 aplicações por ano. Caso seja necessário tratar mais vezes, recomenda-se a utilização de produtos com outros modos de acção.
28
Pessegueiro

Nectarina

Damasqueiro
Ácaros tetraniquideos

Aranhiço vermelho (Panonychus ulmi e Tetranychus urticae)

Ácaros eriofídeos

(Aculus schlechtendali)



Tripes (Frankliniella occidentalis)
75 ml/hl + 250 ml/hl de Soleol



ou



0,75L/ha+ 2,5 L de Soleol
Aplicar só até 3 semanas após a queda das pétalas.

Não efectuar aplicações consecutivas e realizar apenas 2 aplicações por ano. Caso seja necessário tratar mais vezes, recomenda-se a utilização de produtos com outros modos de acção.
14
Ameixeira Ácaros tetraniquideos

Aranhiço vermelho (Panonychus ulmi e Tetranychus urticae)



Ácaros eriofídeos (Aculus fockeni)
75 ml/hl + 250 ml/hl de Soleol



ou



0,75L/ha+ 2,5 L de Soleol
Aplicar após a queda das pétalas até ao início de formação de frutos. .

Realizar apenas 1 aplicação.
28
Citrinos: Laranjeira Tangerineira Toranjeira Limoeiro Mineira das folhas dos rebentos dos citrinos

(Phyllocnistis citrella)
40 ml/hl + 250 ml/hl de Soleol



ou



0,4-0,6L/ha+ 2,5 L de Soleol
Aplicar logo que se observem os primeiros sintomas de ataque nas folhas dos rebentos novos em crescimento. Em função do grau de ataque e de crescimento dos rebentos, e na presença de novas folhas, repetir o tratamento com um intervalo não inferior a 14 dias. Dirigir a pulverização para os rebentos com folhas jovens, molhando bem as folhas ainda em desenvolvimento. 10
Ácaros

(Panonychus citri e Tetranychus spp)
75 ml/hl + 250 ml/hl de Soleol



ou



0,75-1,125L/ha+ 2,5 L de Soleol
Aplicar logo que se observem os primeiros sintomas de ataque nas folhas dos rebentos novos em crescimento. Em função do grau de ataque e de crescimento dos rebentos, e na presença de novas folhas, repetir o tratamento com um intervalo não inferior a 14 dias. Dirigir a pulverização para os rebentos com folhas jovens, molhando bem as folhas ainda em desenvolvimento. Efectuar no máximo 3 aplicações intervaladas de pelo menos 14 dias. Caso seja necessário tratar mais vezes recomenda-se a utilização de produtos com outros modos de acção.
Morangueiro

(ar livre e estufa)
Ácaros

(Tetranychus spp.)
75 ml/hl



ou



0,75L/ha
Aplicar ao início da infestação.

Efectuar a aplicação de forma a cobrir bem as folhas, utilizando volumes de calda de 1000 a 1200 l/ha. No caso de populações muito elevadas, efectuar 2 aplicações consecutivas, intervaladas de 7 a 10 dias. Não aplicar em estufa/ sob coberto de Novembro a Fevereiro. Máximo de 3 aplicações por ciclo cultural e para o total das finalidades.
3
Tripes

(Frankliniella occidentalis, Thrips tabaci)
Efectuar uma primeira aplicação logo que se detectem as primeiras larvas e repetir se necessário com um intervalo de 7 a 10 dias. Evitar o desenvolvimento populacional da praga, dada a dificuldade do seu combate.

Não aplicar em estufa/ sob coberto de Novembro a Fevereiro. Máximo de 3 aplicações por ciclo cultural.
Tomateiro

Beringela

Pimenteiro

Pepino

Melão

Melancia

(ar livre e estufa)
Larvas mineiras

(Liriomyza spp.)
100 ml/hl



ou



1 L/ha
Efectuar uma primeira aplicação logo que se detectem as primeiras minas nas folhas. Repetir a intervalos de 7 dias ou com o intervalo necessário para o controlo da praga, dependendo do estado fenológico da cultura, do número de gerações da praga e da intensidade da infestação.

Não efectuar mais de 2 aplicações consecutivas, nem mais de 3 aplicações durante o ciclo cultural. Não aplicar em estufa/ sob coberto de Novembro a Fevereiro.
3
Ácaros

(Tetranychus urticae)
80 ml/hl



ou



0,8 L/ha
Aplicar ao início da infestação.

Efectuar a aplicação de forma a cobrir bem as folhas, utilizando volumes de calda de 1000 a 1200 l/ha. No caso de populações muito elevadas, efectuar 2 aplicações consecutivas, intervaladas de 7 a 10 dias. Não aplicar em estufa/ sob coberto de Novembro a Fevereiro. Máximo de 3 aplicações por ciclo cultural.
Tomateiro

Beringela

Pimento

Pepino

(estufa)
Tripes da Califórnia

(Frankliniella occidentalis e Trips sp.)
100 ml/hl



ou



1L/ha
Efectuar uma primeira aplicação logo que se detectem as primeiras larvas e repetir se necessário com um intervalo de 7 a 10 dias. Evitar o desenvolvimento populacional da praga, dada a dificuldade do seu combate.

Não efectuar mais de 2 aplicações consecutivas, nem mais de 3 aplicações durante o ciclo cultural. Não aplicar em estufa/ sob coberto de Novembro a Fevereiro.
3
Alface

Chicória

(ar livre)
Tripes da Califórnia

(Frankliniella occidentalis)
100 ml/hl



ou



1L/ha
Efectuar uma primeira aplicação logo que se detectem as primeiras larvas e repetir se necessário com um intervalo de 7 a 10 dias. Evitar o desenvolvimento populacional da praga, dada a dificuldade do seu combate.

Não efectuar mais de 2 aplicações consecutivas, nem mais de 3 aplicações durante o ciclo cultural.
7
Roseiras

Crisântemos

Craveiros

Orquídeas Gerberas

Gipsofilas

e outras flores de corte e envasadas

(ar livre e estufa)
Ácaros (Tetranychus sp.)

Larvas mineiras (Liriomyza spp.)

Tripes (Frankliniella occidentalis)
50 ml/hl

ou

0,5 L/ha
Aplicar ao início da infestação.

Não efectuar mais de 2 aplicações consecutivas, nem mais de 4 aplicações durante o ciclo cultural.
-

Modo de Preparação da Calda e Utilização

No recipiente onde se prepara a calda, deitar metade da água necessária. Agitar bem a embalagem até o produto ficar homogéneo. Juntar a quantidade de produto a utilizar e completar o volume de água, agitando sempre.

Para a obtenção de caldas mistas de VERTIMEC 018 EC® com Soleol: o Soleol deve ser misturado com um pouco de água e em seguida deve adicionar-se esta mistura à calda já preparada

Evitar deixar a calda em repouso.

Para aplicação com barra de pulverização em culturas baixas:

Calibrar correctamente o equipamento, calculando o volume de calda gasto por ha, de acordo com o débito do pulverizador (L/min), da velocidade e largura de trabalho, com especial cuidado na uniformidade da distribuição da calda.

A quantidade de produto e o volume de calda deve ser adequado à área de aplicação, respeitando as doses indicadas.

Para aplicação em culturas arbustivas e arbóreas:

Calibrar correctamente o equipamento, assegurando a uniformidade na distribuição de calda no alvo biológico pretendido.

Calcular o volume de calda gasto por ha em função do débito do pulverizador (L/min), da velocidade e largura de trabalho (distância entrelinhas).

Nas fases iniciais de desenvolvimento das culturas aplicar a calda com a concentração indicada. Em pleno desenvolvimento vegetativo, adicionar a quantidade de produto proporcionalmente ao volume de água distribuído por ha, pelo pulverizador, de forma a respeitar a dose

O VERTIMEC 018 EC® não é corrosivo relativamente ao material de aplicação. No entanto, depois de cada tratamento, deve lavar-se o material de aplicação e passar várias vezes com água simples após a prévia remoção dos bicos e dos filtros que devem ser lavados separadamente.

Protecção Integrada

Segundo a Directiva do Uso Sustentável (Directiva 2009/128/CE) que foi transposta para a Lei nº 26/2013 (a 11 de Abril), é obrigatória a aplicação dos príncipios gerais da Protecção Integrada por todos os utilizadores profissionais. Cumprido esses príncipios gerais, todos os produtos fitofarmacêuticos autorizados em Portugal, para o combate aos inimigos das culturas são passíveis de ser utilizados em Protecção Integrada.

Intervalo de Segurança

Cultura Intervalo de Segurança (dias)
Citrinos 10
Tomateiro 3
Pereira 28
Macieira
Pessegueiro 14
Nectarina
Damasqueiro
Morangueiro 3
Melancia 3
Melão 3
Alface 7
Chicória
Abóbora 3
Abóborinha 3
Agrião 14
Beringela 3
Pimento 3
Ameixeira 28
Hortelão 14
Alface de cordeiro

(6-8 folhas)
14
Couve brócolo

(6-8 folhas)

Couve chinesa

(Pack choi)

Couve Frisada

(6-8 folhas)

Couve Repolho

(6-8 folhas)
14
Mostardas

(6-8 folhas)

Rúcula

(6-8 folhas)

Rúcula selvagem

(6-8 folhas)
---
Cedro ---
Abacateiro 14
Tomateiro árboreo
Estragão
Manjericão
Palmeira

Pinheiro
---
Nogueira 60
Salsa de raíz grossa 14
Pepino 3
Amora
5 (ar livre)
3 (estufa)
Framboesa
Eucaliptos

(viveiros)
-
Alho porro 7
Papaeira 14

L.M.R.

Informação relativa aos LMRs, consultar a informação na página oficial da EU:: http://ec.europa.eu/sanco_pesticides/public/index.cfm

Embalagens

1L.

Precauções Biológicas

  • Não aplicar o VERTIMEC 018 EC® sobre fetos (Adiantum spp.).
  • Utilizar sempre água limpa na preparação da calda.
  • Durante a aplicação não atingir as culturas nem terrenos vizinhos.
  • Ao aplicar o VERTIMEC 018 EC® + Soleol em macieiras, pereiras e prunóideas, deve ter-se em atenção que a mistura não deve ser aplicada sem terem decorrido pelo menos três semanas após uma ou antes duma aplicação de produtos à base de captana, ditianão, dodina, enxofre ou folpete.
  • Cuidados a ter na aplicação em citrinos com Soleol:
    • Regar abundantemente as árvores na véspera do tratamento.
    • Não tratar nas horas de maior calor.
    • Não aplicar desde a floração até os frutos atingirem o tamanho de uma noz.
    • Não aplicar o produto através de qualquer sistema de rega.

Precauções Toxicológicas, Ecotoxicológicas e Ambientais

ATENÇÃO

  • Nocivo por ingestão.
  • Provoca irritação ocular grave.
  • Pode afectar o sistema nervoso após exposição prolongada ou repetida.
  • Muito tóxico para os organismos aquáticos com efeitos duradouros.
  • Não respirar as poeiras/fumos/gases/névoas/vapores/ aerossóis/nuvem de pulverização.
  • Usar luvas de protecção/vestuário de protecção/protecção ocular/protecção facial.
  • SE ENTRAR EM CONTACTO COM OS OLHOS: enxaguar cuidadosamente com água durante vários minutos. Se usar lentes de contacto, retire-as, se tal lhe for possível. Continuar a enxaguar.
  • Em caso de indisposição, consulte um médico.
  • Recolher o produto derramado.
  • Eliminar o conteúdo de forma apropriada.
  • Arejar bem as estufas tratadas até à secagem do pulverizado antes de nelas voltar a entrar.
  • Não contaminar a água com este produto ou com a sua embalagem.
  • Para protecção dos organismos aquáticos, respeitar uma zona não pulverizada de 15 metros em citrinos; 20 metros em pomares de pessegueiro, damasqueiro, nectarinas, ameixeiras e 25 metros em pomares de macieira e pereira em relação às águas de superfície. Sempre que possível, utilizar bicos anti-deriva que garantam, pelo menos, 70% de redução no arrastamento da calda durante a aplicação do produto podendo, nesse caso, reduzir a largura das zonas não pulverizadas em 5 metros.
  • Perigoso para as abelhas. Para protecção das abelhas e de outros insectos polinizadores, não aplicar este produto durante a floração das culturas. Não aplicar este produto na presença de infestantes em floração.
  • Nos tratamentos em estufa, impedir o acesso a abelhas e outros polinizadores imediatamente antes do tratamento e durante, pelo menos 48 h após aplicação do produto.
  • NÃO APLICAR EM ESTUFA/ SOB COBERTO DE NOVEMBRO A FEVEREIRO.
  • Depois da utilização do produto, lavar todo o vestuário de protecção.
  • Intervalo de Segurança: 3 dias em beringela, melancia, melão, morangueiro, pepino, pimenteiro, tomateiro;  7 dias em alface e chicória (não aplicar em estufa); 10 dias em citrinos; 14 dias em damasqueiro, nectarina e pessegueiro; 28 dias em ameixeira, macieira e pereira.

 

Centro de informação anti-venenos: 808 250 143

 

A embalagem vazia deverá ser lavada três vezes, fechada, inutilizada e colocada em sacos de recolha, devendo estes serem entregues num centro de recepção Valorfito; as águas de lavagem deverão ser usadas na preparação da calda.

Usos Menores

Cultura Pragas Concentração (ml/hl) Observações Requerente
Amora Aranhiço vermelho Ar livre: 750-1200 ml/ha

estufa: 460 ml/ha
Pulverizar ao aparecimento das primeiras formas móveis.

Nº máx de aplicações: 2
Lusomorango
Framboesa
Abóbora Larva mineira 60   Assoc. Interp. Horticultores do Oeste
Aboborinha
Agrião C.A.Loures
Alface de cordeiro 50 Iberian Salads
Couve Brócolo

(6-8 folhas)
50   Iberian Salads
Couve Chinesa

(Pack Choi)
Couve de Bruxelas

(6-8 folhas)
Couve-flor

(6-8 folhas)
Couve Frisada

(6-8 folhas)
Couve Repolho

(6-8 folhas)
Komatsuna

(Brassica)
Mizunas

(6-8 folhas)
Tatsoi

(6-8 folhas)
Hortelã
Mostardas

(6-8 folhas)
Rúcula

(6-8 folhas)
Rúcula selvagem

(6-8 folhas)
Nogueira Ácaros 75   AVAPI
Abacateiro 1500 ml/ha   D.R.A. Madeira
Tomateiro árboreo 60
Estragão 50   Iberian salads
Manjericão
Salsa de raíz grossa Tripes 60 Pulverizar ao aparecimento da praga.

Nº máx de aplicações: 3
Camposol
Cedro Processionária 1-2 ml p.c./10 cm de diâmetro do tronco da planta 15   Agrologos
Palmeira Curculionídeo 20-80 ml p.c /planta
Pinheiro Processionária 1-2 ml/p.c./10 cm de diâmetro do tronco da planta
Eucaliptos

(viveiros)
Ácaros 25-50 Pulverizar ao aparecimento das primeiras formas móveis.

Nº máx de aplicações: 2 por ano
SYNGENTA
Alho porro Tripes 50 Pulverizar ao aparecimento da praga.

Nº máx de aplicações: 3
AIHO
Papaeira Ácaros 50-75 Tratar no início da infestação, entre Maio e Outubro. A pulverização deve ser dirigida à copa da planta e frutos.

Nº máx. de apliacações: 2 com intervalos de 7-14 dias.
MADRAGO

 

Outras Informações

Ficha Técnica

PDF

Ficha de Segurança

PDF

Rótulo

PDF

Esta web usa cookies para melhorar a sua experiência como usuario.

Click aqui para mais informação sobre cookies, como funciona e como desactivar.