Fungicida sistémico e de contacto indicado para combater os vários tipos de míldio nas culturas mencionadas e black-rot na vinha. Possui efeito preventivo, curativo e anti-esporulante e está formulado na inovadora formulação pepite que proporciona maior segurança para o aplicador e para o meio ambiente, maior facilidade de utilização e máxima eficiência das substâncias activas.

Ridomil Gold MZ Pepite 

Descrição Geral

Fungicida sistémico e de contacto indicado para combater os vários tipos de míldio nas culturas mencionadas e black-rot na vinha. Possui efeito preventivo, curativo e anti-esporulante e está formulado na inovadora formulação pepite que proporciona maior segurança para o aplicador e para o meio ambiente, maior facilidade de utilização e máxima eficiência das substâncias activas.

Grânulos dispersíveis em água (pepite) com 64% (p/p) de mancozebe + 4% (p/p) de metalaxil-M.

Finalidades / Condições de Utilização:

Cultura Doenças Concentração
(g / hl)
Recomendações
Videira Míldio 250 Dada a época de aplicação para míldio e black-rot ser coincidente, recomenda-se uma estratégia de protecção conjunta para as 2 doenças.
Os tratamentos, devem realizar-se de acordo com as indicações do Serviço Nacional de Avisos Agrícolas. Na sua ausência, devem ser realizados preventivamente, isto é, devem começar ao aparecimento dos primeiros sintomas das doenças, desde a fase de folhas livres até à ao estado de bago grão de chumbo. A persistência biológica do produto é de 12 a 14 dias, devendo o intervalo após um tratamento com este produto e um não curativo ser de 12 dias, assim como em condições de maior risco (chuvas constantes, alta pressão da doença).
Realizar no máximo 2 tratamentos anuais no conjunto das doenças, com este ou outro fungicida do grupo das fenilamidas. Nos restantes tratamentos, devem utilizar-se fungicidas anti-míldio com diferente modo de acção.
Black Rot
Alface (ar livre) Míldio 250 Aplicar o produto preventivamente, logo que as plantas atinjam o estado de 3-4 folhas verdadeiras ou imediatamente após o aparecimento dos primeiros sintomas da doença.
A persistência biológica do produto é de 12-14 dias, sendo o intervalo mais curto usado em condições de maior risco (chuvas constantes, alta pressão da doença). Realizar no máximo 2 tratamentos anuais com este ou outro fungicida do grupo das fenilamidas. Nos restantes tratamentos, devem utilizar-se fungicidas anti-míldio com diferente modo de acção.
Meloeiro (ar livre) Aplicar o produto preventivamente, logo que as plantas atinjam o estado de 3-4 folhas verdadeiras ou imediatamente após o aparecimento dos primeiros sintomas das doenças.
A persistência biológica do produto é de 10 dias. Realizar no máximo 2 tratamentos anuais, por cultura, com este ou outro fungicida do grupo das fenilamidas. Nos restantes tratamentos, devem utilizar-se fungicidas anti-míldio com diferente modo de acção
Pepino (ar livre)
Batateira Os tratamentos, devem realizar-se de acordo com as indicações do Serviço Nacional de Avisos Agrícolas. Na sua ausência, os tratamentos devem ser realizados preventivamente, no período de crescimento activo da cultura, ou seja, até à floração, e, procurando molhar convenientemente as plantas. A persistência biológica do produto é de 10 a 12 dias, sendo o intervalo mais curto usado em condições de maior risco (chuvas constantes, alta pressão da doença) e quando o tratamento seguinte não tem acção curativa.
Realizar no máximo 2 tratamentos anuais com este ou outro fungicida do grupo das fenilamidas. Nos restantes tratamentos, devem utilizar-se fungicidas anti-míldio com diferente modo de acção.
Tomateiro (ar livre) Os tratamentos com RIDOMIL GOLD MZ Pépite devem ser feitos no local definitivo, até à época da floração, sempre que o tempo decorra húmido e chuvoso. A persistência biológica do produto é de 10 a 12 dias, sendo o intervalo mais curto usado em condições de maior risco (chuvas constantes, alta pressão da doença) e quando o tratamento seguinte não tem acção curativa. Realizar no máximo 2 tratamentos anuais com este ou outro fungicida do grupo das fenilamidas. Nos restantes tratamentos, devem utilizar-se fungicidas anti-míldio com diferente modo de acção.
Cebola Iniciar os tratamentos preventivamente, no período de crescimento activo da cultura e de maior incidência da doença, a intervalos de 10 a 12 dias, sendo o intervalo mais curto usado em condições de maior risco (chuvas constantes, alta pressão da doença).
Realizar no máximo 2 tratamentos anuais com este ou outro fungicida do grupo das fenilamidas. Nos restantes tratamentos, devem utilizar-se fungicidas anti-míldio com diferente modo de acção.

Nota: As concentrações indicadas têm como base aplicações em alto volume (1000 l/ha).

Formulação / Composição

Grânulos dispersíveis em água (pepite) com 64% (p/p) de mancozebe + 4% (p/p) de metalaxil-M.



Grupo Químico

Fenilamida + Ditiocarbamato.

Modo de Acção

O metalaxil-M inibe o crescimento micelial do fungo e a formação dos esporos, após penetração nos tecidos vegetais.
Sendo sistémico, o metalaxil-M penetra no interior dos tecidos vegetais, circula na seiva e protege todas as partes da planta incluindo os novos crescimentos.
Actua sobre o fungo no interior da planta, não sendo por isso lavado ou arrastado pelas chuvas ocorridas 30 minutos após a aplicação.
O mancozebe, como fungicida de superfície que é, confere uma protecção externa à planta actuando por contacto sobre o fungo, logo no início da fase da germinação dos “esporos” do míldio.


Persistência de Acção

O metalaxil-M possui uma persistência biológica de 12 a 14 dias. Apresenta ainda uma marcada acção curativa (6 dias) e também um efeito anti-esporulante.
No caso de chuvas intensas ou forte pressão da doença, antes da floração ou quando o tratamento seguinte não tiver acção curativa, deve reduzir-se o intervalo entre tratamentos para 10 dias.

Finalidades / Condições de Utilização

Cultura Doenças Concentração
(g / hl)
Recomendações
Videira Míldio 250 Dada a época de aplicação para míldio e black-rot ser coincidente, recomenda-se uma estratégia de protecção conjunta para as 2 doenças.
Os tratamentos, devem realizar-se de acordo com as indicações do Serviço Nacional de Avisos Agrícolas. Na sua ausência, devem ser realizados preventivamente, isto é, devem começar ao aparecimento dos primeiros sintomas das doenças, desde a fase de folhas livres até à ao estado de bago grão de chumbo. A persistência biológica do produto é de 12 a 14 dias, devendo o intervalo após um tratamento com este produto e um não curativo ser de 12 dias, assim como em condições de maior risco (chuvas constantes, alta pressão da doença).
Realizar no máximo 2 tratamentos anuais no conjunto das doenças, com este ou outro fungicida do grupo das fenilamidas. Nos restantes tratamentos, devem utilizar-se fungicidas anti-míldio com diferente modo de acção.
Black Rot
Alface (ar livre) Míldio 250 Aplicar o produto preventivamente, logo que as plantas atinjam o estado de 3-4 folhas verdadeiras ou imediatamente após o aparecimento dos primeiros sintomas da doença.
A persistência biológica do produto é de 12-14 dias, sendo o intervalo mais curto usado em condições de maior risco (chuvas constantes, alta pressão da doença). Realizar no máximo 2 tratamentos anuais com este ou outro fungicida do grupo das fenilamidas. Nos restantes tratamentos, devem utilizar-se fungicidas anti-míldio com diferente modo de acção.
Meloeiro (ar livre) Aplicar o produto preventivamente, logo que as plantas atinjam o estado de 3-4 folhas verdadeiras ou imediatamente após o aparecimento dos primeiros sintomas das doenças.
A persistência biológica do produto é de 10 dias. Realizar no máximo 2 tratamentos anuais, por cultura, com este ou outro fungicida do grupo das fenilamidas. Nos restantes tratamentos, devem utilizar-se fungicidas anti-míldio com diferente modo de acção
Pepino (ar livre)
Batateira Os tratamentos, devem realizar-se de acordo com as indicações do Serviço Nacional de Avisos Agrícolas. Na sua ausência, os tratamentos devem ser realizados preventivamente, no período de crescimento activo da cultura, ou seja, até à floração, e, procurando molhar convenientemente as plantas. A persistência biológica do produto é de 10 a 12 dias, sendo o intervalo mais curto usado em condições de maior risco (chuvas constantes, alta pressão da doença) e quando o tratamento seguinte não tem acção curativa.
Realizar no máximo 2 tratamentos anuais com este ou outro fungicida do grupo das fenilamidas. Nos restantes tratamentos, devem utilizar-se fungicidas anti-míldio com diferente modo de acção.
Tomateiro (ar livre) Os tratamentos com RIDOMIL GOLD MZ Pépite devem ser feitos no local definitivo, até à época da floração, sempre que o tempo decorra húmido e chuvoso. A persistência biológica do produto é de 10 a 12 dias, sendo o intervalo mais curto usado em condições de maior risco (chuvas constantes, alta pressão da doença) e quando o tratamento seguinte não tem acção curativa. Realizar no máximo 2 tratamentos anuais com este ou outro fungicida do grupo das fenilamidas. Nos restantes tratamentos, devem utilizar-se fungicidas anti-míldio com diferente modo de acção.
Cebola Iniciar os tratamentos preventivamente, no período de crescimento activo da cultura e de maior incidência da doença, a intervalos de 10 a 12 dias, sendo o intervalo mais curto usado em condições de maior risco (chuvas constantes, alta pressão da doença).
Realizar no máximo 2 tratamentos anuais com este ou outro fungicida do grupo das fenilamidas. Nos restantes tratamentos, devem utilizar-se fungicidas anti-míldio com diferente modo de acção.

Nota: As concentrações indicadas têm como base aplicações em alto volume (1000 l/ha).

Modo de Preparação da Calda e Utilização

No recipiente onde se prepara a calda deitar cerca de metade da água necessária. Juntar a quantidade de produto a utilizar e completar o volume de água agitando sempre.

Para aplicação com barra de pulverização em culturas baixas:

Calibrar correctamente o equipamento, calculando o volume de calda gasto por ha, de acordo com o débito do pulverizador (L/min), da velocidade e largura de trabalho, com especial cuidado na uniformidade da distribuição de calda.

A quantidade de produto e o volume de calda deve ser adequado à área de aplicação, respeitando as doses indicadas.

Para aplicação em culturas arbustivas e arbóreas:

Calibrar correctamente o equipamento, assegurando a uniformidade na distribuição de calda no alvo biológico pretendido.

Calcular o volume de calda gasto por ha em função do débito do pulverizador (L/min), da velocidade e largura de trabalho (distância entrelinhas).

Nas fases iniciais de desenvolvimento das culturas aplicar a calda com a concentração indicada. Em pleno desenvolvimento vegetativo, adicionar a quantidade de produto proporcionalmente ao volume de água distribuído por ha, pelo pulverizador, de forma a respeitar a dose.

Protecção Integrada

Segundo a Directiva do Uso Sustentável (Directiva 2009/128/CE) que foi transposta para a Lei nº 26/2013 (a 11 de Abril), é obrigatória a aplicação dos príncipios gerais da Protecção Integrada por todos os utilizadores profissionais. Cumprido esses príncipios gerais, todos os produtos fitofarmacêuticos autorizados em Portugal, para o combate aos inimigos das culturas são passíveis de ser utilizados em Protecção Integrada.

Intervalo de Segurança, L.M.R.

Cultura Intervalo de Segurança (dias) LMR (mg/kg)
Videira 28 – uvas para mesa metalaxil-M: 2.0
mancozebe: 5.0
Videira 56 – uvas para vinho metalaxil-M: 1.0
mancozebe: 5.0
Alface 28 – ar livre (1)
35 – estufa (1)
metalaxil-M: 2.0
mancozebe: 5.0
Meloeiro 3 metalaxil-M: 0.2
mancozebe: 1.0
Pepino 7 metalaxil-M: 0.5
mancozebe: 2.0
Batateira 14 metalaxil-M: 0.05
mancozebe: 0.3
Tomateiro
(ar livre)
3 – consumo em fresco
28 – tomate para indústria
metalaxil-M: 0.2
mancozebe: 3.0
Cebola 28 metalaxil-M: 0.5
mancozebe: 1.0
Couve-repolho 21 metalaxil-M: 1.0
mancozebe: 3.0
Couve-brócolo
Couve-flor
28 metalaxil-M: 0.2
mancozebe: 1.0
Tabaco 35 Não estabelecido
Melancia 3 metalaxil-M: 0.2
mancozebe: 1.0
Couve Frisada
(Couve Portuguesa
e Couve Galega)
28 metalaxil-M: 0.2
mancozebe: 0.5
Salsa 21 metalaxil-M: 2.0
mancozebe: 5.0
Salsa de raíz grossa 28 metalaxil-M: 0.2
mancozebe: 0.05
Papoila dormidera -- metalaxil-M: 0.1
mancozebe: 0.1

(1) O intervalo entre aplicações não pode ser inferior a 2 semanas.

Embalagens

250 g, 1 e 5 kg.

Precauções Biológicas

Não se deve aplicar este produto nos locais onde se verifiquem quebras de eficácia após a aplicação repetida do mesmo.

Para evitar o desenvolvimento de resistências realizar no máximo 2 aplicações anuais, por cultura, com este ou outro fungicida do grupo químico das fenilamidas.

Precauções Toxicológicas, Ecotoxicológicas e Ambientais

  • Ficha de Segurança fornecida a pedido de utilizadores profissionais.
  • Em caso de incêndio e/ou explosão não respirar os fumos.
  • Irritante para as vias respiratórias. Pode causar sensibilização em contacto com a pele.
  • Não respirar a nuvem de pulverização. Evitar o contacto com a pele.
  • Usar luvas adequadas durante a preparação da calda e aplicação do produto.
  • Não comer, beber ou fumar durante a utilização.
  • Em caso de ventilação insuficiente, usar equipamento respiratório adequado.
  • Não contaminar a água com este produto ou com a sua embalagem.
  • Muito tóxico para os organismos aquáticos, podendo causar efeitos nefastos a longo prazo no ambiente aquático.
  • Para protecção dos organismos aquáticos, não aplicar em terrenos agrícolas adjacentes a águas de superfície.
  • Após o tratamento lavar cuidadosamente as luvas, tendo cuidado especial em lavá-las por dentro.
  • Intervalo de segurança – 3 dias em meloeiro; 3 dias em tomateiro ao ar livre, quando a produção de tomate se destine ao consumo em fresco; 28 dias em tomateiro ao ar livre, quando a produção se destine a fins industriais; Não aplicar em tomateiro em estufa; 7 dias em pepino; 14 dias em batateira; 21 dias em couves-de-repolho; 28 dias em alface ao ar livre (o intervalo entre aplicações não deve ser inferior a 2 semanas), couves de inflorescência e videira de uvas de mesa; 35 dias em alface em estufa (o intervalo entre aplicações não deve ser inferior a 2 semanas) e em tabaco; 56 dias em videira de uvas para vinificação.
  • Nº máximo de aplicações com mancozebe: 2 em alface em estufa, couves-de-repolho, couves de inflorescência; 4 em alface ao ar livre; 5 em meloeiro e pepino, 6 em tomateiro. Não efectuar mais aplicações com produtos que contenham outras substâncias activas do grupo dos ditiocarbamatos (metirame, propinebe, tirame ou zirame), autorizados para as culturas em causa.
  • Tratamento de emergência - Em caso de ingestão lavar repetidamente a boca com água (apenas se a vítima estiver consciente), consultar imediatamente o médico e mostrar-lhe a embalagem ou o rótulo.


Irritante


Perigoso para
o ambiente

Usos Menores

Cultura Inimigo Concentração
(g / hl)
Requerente
Melancia Míldio 250 * AVAPI
Couve Frisada
(Couve Portuguesa
e Galega)
250 A.I.H. Oeste
Salsa C.A. Loures
Salsa de raíz grossa CAMPOSOL
Papoila dormideira 950 MACFARLAN SMITH

* Admitindo aplicações de 1000 L de calda/ha, a quantidade a distribuir será de 2,5 Kg/ha.

Outras Informações

Ficha Técnica

PDF

Ficha de Segurança

PDF

Rótulo

PDF

Esta web usa cookies para melhorar a sua experiência como usuario.

Click aqui para mais informação sobre cookies, como funciona e como desactivar.